Áreas de Tentação – Como Obter a Vitória

Vamos ver as áreas nas quais Jesus foi tentado, assim como no seu método para obter a vitória.  Eles são completamente aplicáveis a nós.

PRESERVAÇÃO – Lc 4.3

Temos um desejo interior de nos darmos bem na vida, de sobrevivermos. Temos necessidades. O Diabo pede a Jesus (tenta-o) que use seu poder divino, transforme as pedras em pães. Cristo está com fome e ele tem o poder de mudar as coisas. Mas ele assumira um compromisso que impedia a autossuficiência e o processo independente de tomada de decisão.  Ele tinha uma parceria com Deus Pai.  Ele concordara em seguir a liderança do Pai. Ele não tinha permissão do Pai, além de que a tentação também era uma sutil insinuação de que seu Pai não estava tomando conta dele direito e estava indiferente nessa situação em particular.  Jesus se recusaria a aceitar isso.

Ele concordara em vir à terra para representar os interesses do Pai e estar em completa submissão à sua autoridade, ao seu plano e à sua agenda.  Jo 5.30 – Jo 6.38

Cristo seria o redentor de toda a humanidade. Aqui ele validaria seu direito a ser o Senhor da criação e o Rei entronizado – mas faria isso da maneira do Pai e somente conforme o poder do Espírito Santo o capacitasse.O teste não girava em torno de uma simples refeição, mas sobre quem estava no controle de sua vida. “O que o Pai celestial quer da minha vida neste momento?

Ele é capaz de me sustentar de maneira plena, especialmente quando as coisas parecem tão desanimadoras?” Esse é o teste da preservação. Todos nós vamos enfrentar a mesma decisão. Temos uma ALIANÇA com Deus para seguir sua liderança. Ele prometeu cuidar de nós  e devemos confiar que Deus vai nos sustentar.  Mt 6.33

POSSES – Lc 4.6-8

O Diabo pediu a Jesus que, em vez de adorar a Deus, adorasse a ele.  O Diabo ofereceu um substituto para o plano do Pai, ou seja, de Jesus herdar o Reino.  Em vez de seguir pela avenida de um redentor sofredor, Satanás ofereceu a Jesus uma alternativa mais fácil e conveniente: simplesmente adorá-lo em rebeldia a Deus.  Jesus poderia conseguir o seu Reino sem qualquer dificuldade; ele só tinha que negar sua própria identidade e desviar o alvo de sua lealdade, não servindo mais ao Deus Criador e sim ao Diabo criado e corrompido.

Quem entre nós não fez uma coisa errada para obter alguma vantagem temporária, alguma posse material ou uma posição? Para alguns, é roubar; para outros, é mentir.

Alguns trabalham demais, ignorando esposa e filhos, para ganhar aquele pequeno extra com o objetivo de comprar algum  produto.

ADORAR – É atribuir nossa mais elevada admiração, respeito e lealdade a uma coisa e subjugar todos os sentimentos, ações e pensamentos à sua perspectiva, então negar essa perspectiva é redirecionar alguma medida de adoração. Quando desobedecemos a Palavra para obtermos coisas deixamos de adorar a Deus e adoramos outra coisa. Precisamos conhecer a Palavra de Deus e aplicá-la à nossa vida de maneira consistente.

PRESUNÇÃO – Lc 4.9-11

O Diabo desafia Jesus a fazer uma coisa arriscada: pular do alto do templo para provar que a Palavra de Deus funciona. O Diabo aplicou a Escritura de maneira errada, mas Jesus notou o erro. Deus diz que vai nos proteger, mas não diz que vai limitar as consequências de nossas ações quando elas violam uma verdade revelada. Satanás omite “…em todos os teus caminhos.” – Sl 91.11

Pulamos de prédios – sem paraquedas – quando entramos em compromissos financeiros dos quais realmente não podemos dar conta. Às vezes o risco está nos relacionamentos que mantemos, crendo que podemos nos apegar a pessoas erradas e ir aos lugares errados e isso, por fim, não vai nos afetar.

Deus nos deu sua Palavra e também dará avisos por meio de seu Espírito durante todo o processo de tomada de decisão, bem como uma rota segura de escape. Is 30.21. Ele, porém, não nos resgata de decisões erradas ou de suas consequências até que tenhamos aprendido bem nossa lição: viver apenas de acordo com sua Palavra. Mt 4.4

Jesus passou por todas as provas e, agora, seu direito moral de nos conduzir foi validado e fortalecido.

Somos assolados por várias tentações todos os dias. Alguns dias são piores que outros, mas toda tentação à qual cedemos nos enfraquece um pouco mais, enquanto que toda tentação que vencemos nos fortalece.

Queremos ser lembrados por vencer a tentação e viver acima da mediocridade moral da nossa geração.

Temos que ser vigilantes para superar as seduções de nosso mundo permissivo e os desejos inerentes à nossa natureza pecaminosa.

Devemos aprender a reconhecer a realidade e as estratégias do Diabo e a sermos cuidadosos com nossos apetites, especialmente nos momentos de escassez.

Precisamos ser estudiosos da Palavra, de modo que possamos tanto conhecer quanto usar a verdade de Deus para nos guiar por meio do deserto das influências que competem em nossa vida.

Então, Deus será a verdadeira fonte de nossa segurança à medida que lutamos com as questões da preservação, das posses e da presunção.

0 respostas

Deixe uma resposta

Promova o debate!
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *